Leonardo Martins - Mentalista

terça-feira, 26 de julho de 2011

Hipnose pode ajudar na anestesia

(Ilustração - Morton aplicando a primeira anestesia - Massachusetts General Hospital)

Na época em que Morton realizou a primeira demonstração pública da anestesia geral, utilizou o éter etílico como único agente anestésico. Assim a anestesia inalatória com éter se manteve por muito tempo como a única técnica de anestesia geral. Na seqüência surgiram o thiopental, o pentotal e outros barbitúricos.

Desde o início dos anos noventa, milhares de pacientes têm optado pela hipnose - como substituto ou (mais tipicamente) complemento da anestesia - numa vasta gama de procedimentos cirúrgicos, desde a reparação de hérnias até a remoção de tumores. No Hospital Universitário de Liège, na Bélgica, uma equipe de médicos liderados pela Dra. Marie-Elisabeth Faymonville, já registrou mais de 5.100 cirurgias realizadas com hipnosedação, uma técnica desenvolvida por Faymonville que substitui a anestesia geral com a hipnose, anestesia local e um sedativo leve. "Os pacientes nos contam que é uma experiência muito especial", afirma Faymonville. "Hoje somos procurados por pessoas que estão vindo de todas as partes do mundo."

A hipnose foi usada pela primeira vez como anestésico cirúrgico em 1845, na Índia, mas foi rapidamente abandonada com a introdução do éter no ano seguinte. A prática degenerou-se através das décadas seguintes, tornando-se, pelo menos aos olhos da opnião pública, pouco mais do que um truque de salão. Em 1958, a hipnose foi sancionada pela American Medical Association para uso na medicina e na odontologia. Desde então, médicos têm usado a hipnose para auxiliar no alívio de enxaquecas, depressões, ansiedade, dor crônica causada pelo câncer, etc.

Hipnose pode ajudar anestesia local em cirurgias de câncer e tireoide.

Grã-Bretanha testa hipnose como alternativa a anestesia em partos.

Anestesia geral - hipnose, analgesia, bloqueio neuromuscular e proteção contra o estresse.

Hipnose como alternativa para a sedação está voltando aos centros cirúrgicos.

2 comentários:

cristiano_sp disse...

muito bacana o post e os links a respeito desse assunto

Gleyne Alexandre Barbosa disse...

Só que não foi Dr Morton o primeiro... O crédito é do Dr Horace Hells

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...